Cookies de banana, coco e aveia sem açúcar

0 Comentários // em Alimentação da Criança Alimentação da Gestante Alimentação da Lactante Alimentação do Adolescente Alimentação do Bebê Receitas // 6 de maio de 2015

11126725_10206592483988483_1052430077_nEsse biscoitinho é uma ótima opção para os bebês de 1 ano que estão começando a comer a comida da família e que, nem por isso, devem receber lanchinhos cheios de açúcar, gordura hidrogenada e substâncias estranhas ao organismo, como conservantes, corantes, espessantes, aromatizantes, etc.

Ao preparar biscoitos e pães em casa, assim como as outras refeições, você garante que seu filho está comendo somente aquilo que você gostaria que ele comesse: comida de verdade, cheia de ingredientes frescos e de qualidade.

Claro que essa receita vale para todas as crianças e até para os adultos. É super prática de preparar, até as mamães que não são fãs da cozinha podem se aventurar. Aí vai a receita:

INGREDIENTES:
– 5 bananas pequenas amassadas (ou 3 grandes)
– 50 ml de leite de coco
– 3 colheres de sopa de coco ralado
– 1 1/2 xícara de aveia em flocos
– 2 colheres de sopa de uvas-passas (ou ameixas secas ou tâmaras picadinhas)

MODO DE PREPARO:
Em uma tigela, misture todos os ingredientes até que fiquem bem incorporados. Molde no formato que desejar e coloque em uma assadeira em forno baixo preaquecido por 15 minutos. Fica molinho por cima e mais durinho por baixo. As crianças amam!
Duram 3 dias em pote bem fechado.

DICA DA NUTRI:
O biscoito fica bem docinho para o meu paladar e, com toda certeza, para o dos bebês também. Mas caso prefiram acrescentar um docinho, sugiro que seja o mel, melado, açúcar de coco ou açúcar mascavo, apenas 1 colher de sobremesa para esta receita. Lembrando que quanto mais açúcar ingerimos, mais nosso paladar fica condicionado e menos sentimos o sabor doce nos alimentos. É muito importante educar, desde cedo, o paladar das crianças para sabores mais naturais e suaves, como, no caso, o docinho da banana e das uvas-passas desses cookies.

Geleia caseira de ameixa para constipação intestinal

0 Comentários // em Alimentação da Criança Alimentação da Gestante Alimentação da Lactante Alimentação do Adolescente Alimentação do Bebê Dicas da Nutricionista Receitas // 18 de dezembro de 2014

10833670_10205451929155325_155921616_nEssa geleia é bastante famosa entre meus pacientes que chegam até mim com queixa de intestino preso. Além de ser uma forma natural e nutritiva para tratar a constipação intestinal, ela também é bem gostosa e vai bem com iogurtes naturais, pães ou biscoitos, como recheio de bolos ou mesmo pura, como doce de colher. Para os bebês, ela pode ser acrescentada às papinhas de fruta ou pode ser dada pura, também.

Ela pode ser preparada de duas maneiras, que surtem o mesmo efeito: somente com ameixas secas ou com ameixas secas e damascos secos em proporções iguais. Depende do seu paladar ou do paladar da criança, vale testar as duas para decidir qual a preferida ou mesmo intercalar o consumo, para variar.

Recomendo que se consuma até 2 colheres de sopa cheias ao dia. Para crianças e bebês, pode-se começar a oferecer de 1 a 2 colheres de sobremesa por dia, observando aceitação, podendo aumentar para até 2 colheres de sopa. Geralmente 2 colheres de sobremesa funcionam muito bem.

Aí vai a receita com algumas fotos da que eu fiz hoje em casa somente com umas ameixas que estavam paradas na geladeira.

INGREDIENTES

- 2 xícaras de ameixas secas (ou 1 xícara de ameixas secas mais 1 xícara de damascos secos)

- Água suficiente para cobrir as frutas

- 2 pauzinhos de canela

OBS.: Na minha, usei mais temperinhos, porque gosto dela mais picante. Usei, além da canela em pau: cardamomo em pó, cravo-da-índia em pó, gengibre em pedacinhos e em pó e canela em pó. A quantidade fica a critério do paladar de vocês. Para crianças e, principalmente, bebês, recomendo usar somente a canela em pau para dar um gostinho durante o cozimento.

10850775_10205451929035322_1040034661_n

MODO DE PREPARO

Levar as ameixas secas ao fogo em uma panela com água suficiente para tampar, acrescente a canela e pau e demais temperos de sua escolha. Após fervura, abaixe o fogo e deixe reduzir, até sobrar somente as ameixas já bem molinhas e desmanchando. Retire os paus da canela e bata em um processador ou liquidificador até alcançar a consistência da sua preferência.

OBS.: A que eu fiz hoje e que aparece na foto, eu não processei, apenas fui amassando com a colher durante o cozimento para formar uma geleia. Para bebês e crianças, processar aumenta a aceitação.

 

Atendimento Nutricional na Barra da Tijuca

0 Comentários // em Alimentação da Criança Alimentação da Gestante Alimentação do Adolescente Alimentação do Bebê Eventos // 29 de julho de 2014

Comer normalmente, o que é?

0 Comentários // em Alimentação da Criança Alimentação da Gestante Alimentação do Adolescente Eventos // 22 de agosto de 2013

Essa foi, por um bom tempo, uma pergunta um tanto quanto difícil de se responder e tem estado incessantemente presente nos meus atendimentos clínicos, principalmente nos casos de sobrepeso e obesidade. Sempre suspeitei que ela tinha infinitas respostas, afinal, quando o assunto é a nossa alimentação, variáveis a serem consideradas não faltam e seria um grave erro abordá-la sob uma perspectiva engessada ou reducionista.

No entanto, um belo dia, numa pequena livraria, folheando algum livro sobre transtornos alimentares, eis que uma definição de ‘comer normalmente’ saltou aos meus olhos e muito me agradou:

“Alimentar-se normalmente é ser capaz de comer quando você está com fome e continuar comendo até você ficar satisfeito. É ser capaz de escolher as comidas que você gosta e comê-las até aproveitá-las suficientemente – e não simplesmente parar porque você acha que deveria. Alimentar-se normalmente é ser capaz de usar alguma restrição na seleção alimentar para consumir as comidas certas, mas sem ser tão restritivo a ponto de não comer as comidas prazerosas. Alimentar-se normalmente é dar permissão a você mesmo para comer às vezes porque você está feliz, triste ou chateado ou apenas porque é tão gostoso. É também deixar alguns biscoitos no prato porque você pode comer mais amanhã ou então comer mais agora porque eles têm um sabor maravilhoso quando estão frescos. Alimentar-se normalmente é comer em excesso às vezes e depois se sentir estufado e desconfortável. Também é comer menos de vez em quando, desejando ter comido mais. Alimentar-se normalmente requer um pouco do seu tempo e atenção, mas também ocupa o lugar de apenas uma área importante, entre tantas, de sua vida. Resumindo, o comer normalmente é flexível e varia em resposta a emoções, agenda, fome e proximidade com o alimento.”

A autora é a grande Ellyn Satter que, posteriormente, tive o prazer de conhecer um pouco mais do seu trabalho.

Comer normalmente, portanto, não se limita a seguir uma prescrição, ao contrário, exige uma certa flexibilidade e uma sólida confiança nos sinais internos de fome, apetite e saciedade. Também demanda uma atitude relaxada, positiva e confortável que consegue harmonizar os desejos e escolhas alimentares com as quantidades consumidas. O prazer, então, deixa de ser um covite ao exagero e passa a ser mais um temperinho para adoçar nossa vida.

Quem quiser conhecer mais sobre o trabalho da Ellyn Satter, aí vai o site: http://www.ellynsatterinstitute.org/

Opções mais saudáveis de sucos industrializados

0 Comentários // em Alimentação da Criança Alimentação da Gestante Alimentação do Adolescente Dicas da Nutricionista Eventos // 11 de março de 2013

Muitos pacientes têm me perguntando sobre opções mais saudáveis dentre os produtos industrializados no geral, então, decidi postar por aqui os meus escolhidos. Vou começar pelo suco, por ser um dos produtos mais consumidos, principalmente, por quem leva lanches de casa para rua e por crianças nas escolas.

Vale ressaltar que a melhor opção sempre será o suco natural, feito e tomado na hora. Em segundo lugar, o suco da polpa da fruta. Mas, nos momentos em que precisamos de alguma alternativa mais prática, alguns sucos industrializados se sobressaem quando o assunto é qualidade:

Do Bem: Sem conservantes, corantes, aromatizantes e outros ‘antes’ que dão nome aos famosos aditivos químicos. Além dos sucos de fruta, a linha também oferece água de coco, chá mate com limão e suco de frutas mistas. Mas atenção, a limonada tem adição de açúcar, a maioria não tem.

Smoothies da Jasmine: Purê de fruta pura, sem conservantes e sem adição de açúcar ou aditivos químicos, em uma prática embalagem de 90 gramas que pode ser levada a qualquer lugar. Rico em vitamina C, é ideal para o lanche da manhã, da tarde, antes da academia ou para ser levado na lancheira das crianças. Uma porção de Smoothie Jasmine supre a necessidade de uma das cinco porções diárias de frutas e verduras recomendadas pela OMS.

Green Day: Sucos integralmente derivados da fruta, sem adição de água, açúcar ou edulcorante. Opções em embalagens para lancheira: maçã, uva branca e roxa, maçã com pêra.

Ceres: Oferece o puro sumo de fruta. Sem adição de açúcar, corantes ou conservantes.

Fast Fruit: Sabores laranja, laranja com manga e laranja com mamão. Sem conservantes e açúcar, mas com aromatizante.

Fazenda Bela Vista: Suco de laranja integral, sem adição de açúcar e conservantes.

EcoCitrus: Oferece sucos concentrados de frutas orgânicas. São isentos de conservantes e corantes. Sabores: laranja, tangerina e uva integral.

Suvalan: Sem adição de açúcar e conservantes. Possui vários sabores.

Suco de Maçã do Yakult: Feito com suco de maçã concentrado, não contém conservantes e aditivos artificiais, nem adição de açúcar ou adoçantes. Contém aromatizante artificial.

Suco de uva integral: Feitos do puro sumo da uva branca ou tinta. Existem várias marcas.

Suco de laranja da Native: Suco orgânico, sem adição de açúcar e conservantes, contém aromatizante. Os outros sabores têm adição de açúcar, porém, não possuem conservantes também.

Um beijo e até a próxima com mais dicas sobre os industrializados.

Naila Soares

Dez alimentos para Gestantes

0 Comentários // em Alimentação da Gestante Eventos // 21 de junho de 2011

Você não precisa e nem deve dobrar a quantidade de comida ingerida, mas fique atenta à qualidade da sua alimentação nessa fase tão especial. Além de garantirem o desenvolvimento do bebê, alguns alimentos ajudam a aliminar sintomas desagradáveis, como inchaço, insônia e prisão de ventre, e a diminuir o risco de doenças graves como hipertensão e diabetes gestacional.

1. Salmão
Além de ser uma delícia, é rico em ômega 3, que tem ação anti-inflamatória e protege contra a hipertensão. Contribui ainda para a formação neurológica, cerebral e pulmonar do feto e estimula seu crescimento.
Dose certa: 1 filé duas vezes por semana, grelhado, assado ou cozido no vapor.

2. Aveia em flocos
Contém fibras solúveis, que previnem a constipação intestinal, auxiliam no controle dos níveis de açúcar no sangue e na prevenção do diabetes gestacional.
Dose certa: de 1 a 2 colheres (sopa) com iogurte desnatado, diariamente, antes de dormir, o que vai evitar quedas de açúcar no sangue no período noturno.

3. Leite
Fonte de cálcio, o leite é importante para o desenvolvimento ósseo do bebê, a formação dos dentes e a regulação da coagulação sanguínea, dos impulsos nervosos e dos batimentos cardíacos do pequeno. A mulher, por sua vez, se protege contra a osteoporose e a pré-eclampsia.
Dose certa: cerca de 1 litro de leite integral todos os dias.

4. Linhaça
Seus pontos fortes são as fibras e o ômega 6, que diminuem o colesterol ruim, ajudando a prevenir inchaços, prisão de ventre, ganho excessivo de peso e hipertensão. Para o bebê, favorece o desenvolvimento cerebral e da retina.
Dose certa: de 1 a 2 colheres (sopa) por dia, triturada no liquidificador.

5. Batata-doce
A batata-doce fornece vitamina A, que ajuda no desenvolvimento celular do feto, assim como no seu crescimento ósseo e dentário. Também protege a visão e reforça o sistema imunológico da mãe e do bebê.
Dose certa: 1 unidade pequena ao dia, cozida ou assada.

6. Laranja
Rica em vitamina C, tem ação antioxidante, aumenta a imunidade e previne contra gripes e doenças infecciosas. Ingeri-la com o bagaço também fornece fibras, que auxiliam no funcionamento intestinal e aumentam a sensação de saciedade.
Dose certa: 1 copo de suco sem açúcar nem aditivos ou 1 fruta com o bagaço, diariamente.

7. Quinua
Esse cereal é ideal para grávidas, pois reúne fibras, proteínas, minerais e vitaminas, como a B6, que melhora o sono e previne a depressão pós-parto.
Dose certa: de 1 a 2 colheres (sopa) de farelo de quinua diariamente

8. Feijão
É uma importante fonte de ferro, essencial para a formação da placenta e dos tecidos e músculos do bebê. Também contém fibras solúveis, que se transformam em um gel no estômago, prolongando a sensação de saciedade. Contribui ainda para reduzir os níveis de colesterol e de açúcar no sangue.
Dose certa: 1 concha média pelo menos uma vez ao dia

9. Carne bovina magra
Proteínas e vitaminas são indispensáveis para a formação dos tecidos maternos e fetais. A carne também contém vitamina B12, que favorece o desenvolvimento cognitivo do bebê. A carência causa fadiga, perda de memória e fraqueza muscular na mãe.
Dose certa: 1 porção de 100 gramas de três a quatro vezes por semana, grelhada, cozida ou assada.

10. Brócolis
Contém ácido fólico, um derivado da vitamina B que é sinônimo de proteção na gravidez. Ele favorece o desenvolvimento neurológico do bebê, evitando malformações na medula e no cérebro. Para a mulher, combate formas de anemia, doenças cardiovasculares e alterações psíquicas.
Dose certa: 1 prato de sobremesa diariamente, cozido no vapor, em salada ou refogado.