Dez alimentos para Gestantes

0 Comentários // em Alimentação da Gestante Eventos // 21 de junho de 2011

Você não precisa e nem deve dobrar a quantidade de comida ingerida, mas fique atenta à qualidade da sua alimentação nessa fase tão especial. Além de garantirem o desenvolvimento do bebê, alguns alimentos ajudam a aliminar sintomas desagradáveis, como inchaço, insônia e prisão de ventre, e a diminuir o risco de doenças graves como hipertensão e diabetes gestacional.

1. Salmão
Além de ser uma delícia, é rico em ômega 3, que tem ação anti-inflamatória e protege contra a hipertensão. Contribui ainda para a formação neurológica, cerebral e pulmonar do feto e estimula seu crescimento.
Dose certa: 1 filé duas vezes por semana, grelhado, assado ou cozido no vapor.

2. Aveia em flocos
Contém fibras solúveis, que previnem a constipação intestinal, auxiliam no controle dos níveis de açúcar no sangue e na prevenção do diabetes gestacional.
Dose certa: de 1 a 2 colheres (sopa) com iogurte desnatado, diariamente, antes de dormir, o que vai evitar quedas de açúcar no sangue no período noturno.

3. Leite
Fonte de cálcio, o leite é importante para o desenvolvimento ósseo do bebê, a formação dos dentes e a regulação da coagulação sanguínea, dos impulsos nervosos e dos batimentos cardíacos do pequeno. A mulher, por sua vez, se protege contra a osteoporose e a pré-eclampsia.
Dose certa: cerca de 1 litro de leite integral todos os dias.

4. Linhaça
Seus pontos fortes são as fibras e o ômega 6, que diminuem o colesterol ruim, ajudando a prevenir inchaços, prisão de ventre, ganho excessivo de peso e hipertensão. Para o bebê, favorece o desenvolvimento cerebral e da retina.
Dose certa: de 1 a 2 colheres (sopa) por dia, triturada no liquidificador.

5. Batata-doce
A batata-doce fornece vitamina A, que ajuda no desenvolvimento celular do feto, assim como no seu crescimento ósseo e dentário. Também protege a visão e reforça o sistema imunológico da mãe e do bebê.
Dose certa: 1 unidade pequena ao dia, cozida ou assada.

6. Laranja
Rica em vitamina C, tem ação antioxidante, aumenta a imunidade e previne contra gripes e doenças infecciosas. Ingeri-la com o bagaço também fornece fibras, que auxiliam no funcionamento intestinal e aumentam a sensação de saciedade.
Dose certa: 1 copo de suco sem açúcar nem aditivos ou 1 fruta com o bagaço, diariamente.

7. Quinua
Esse cereal é ideal para grávidas, pois reúne fibras, proteínas, minerais e vitaminas, como a B6, que melhora o sono e previne a depressão pós-parto.
Dose certa: de 1 a 2 colheres (sopa) de farelo de quinua diariamente

8. Feijão
É uma importante fonte de ferro, essencial para a formação da placenta e dos tecidos e músculos do bebê. Também contém fibras solúveis, que se transformam em um gel no estômago, prolongando a sensação de saciedade. Contribui ainda para reduzir os níveis de colesterol e de açúcar no sangue.
Dose certa: 1 concha média pelo menos uma vez ao dia

9. Carne bovina magra
Proteínas e vitaminas são indispensáveis para a formação dos tecidos maternos e fetais. A carne também contém vitamina B12, que favorece o desenvolvimento cognitivo do bebê. A carência causa fadiga, perda de memória e fraqueza muscular na mãe.
Dose certa: 1 porção de 100 gramas de três a quatro vezes por semana, grelhada, cozida ou assada.

10. Brócolis
Contém ácido fólico, um derivado da vitamina B que é sinônimo de proteção na gravidez. Ele favorece o desenvolvimento neurológico do bebê, evitando malformações na medula e no cérebro. Para a mulher, combate formas de anemia, doenças cardiovasculares e alterações psíquicas.
Dose certa: 1 prato de sobremesa diariamente, cozido no vapor, em salada ou refogado.

Toda refeição é uma oportunidade

0 Comentários // em Alimentação da Criança Alimentação do Adolescente Eventos // 14 de junho de 2011

Doença celíaca e alimentos permitidos em uma dieta isenta de glúten

0 Comentários // em Alimentação da Criança Alimentação do Adolescente Eventos //

Muitas crianças têm alergia a algum tipo de alimento, geralmente corantes, ou ao leite, por exemplo. Pense, então, numa intolerância a um produto que está presente em vários alimentos, os mais comuns no nosso dia a dia, como pão, macarrão, biscoitos, bolos e mingaus. Este elemento é o glúten, uma proteína presente no trigo, no centeio, na aveia, na cevada e no subproduto da cevada – o malte. A parte tóxica do glúten para o celíaco é chamada de prolamina, que corresponde a 50% da proteína do glúten que não se dissolve na água e que é solúvel no etanol.

Para a criança apresentar intolerância ao glúten ela precisa ter dois fatores:
1 – predisposição genética, isto é, nascer com chance de desenvolver esta intolerância;
2 – comer alimentos que contenham glúten. Esta intolerância é para a vida toda e acontece, principalmente, porque o glúten danifica o intestino delgado e com isso prejudica a absorção dos nutrientes dos alimentos.

Alimentos permitidos na dieta isenta de glúten

CEREAIS: arroz, milho, painço e os pseudocereais quinoa, amaranto, trigo sarraceno.

FARINHAS e FÉCULAS: farinha de arroz, amido de milho (tipo “maisena”), fubá, farinha de mandioca, fécula
de batata, farinha de soja, polvilho, araruta, flocos de arroz e milho.

MASSAS: feitas com as farinhas permitidas.

VERDURAS, FRUTAS E LEGUMES: todos, crus ou cozidos.

LATICÍNIOS: leite, manteiga, queijos e derivados (se não houver intolerância à lactose).

GORDURAS: óleos e azeites.

CARNES: bovina, suína, frango, peixes, ovos e frutos do mar.

GRÃOS: feijão, lentilha, ervilha, grão de bico, soja.

SEMENTES OLEAGINOSAS: nozes, amêndoas, amendoim, castanhas da Amazônia e caju, avelãs, macadâmias, linhaça, gergelim, abóbora, etc.

OBS: Dependendo da fase do tratamento, o tipo de leite, açúcar e gordura são especiais. Siga rigorosamente as recomendações do seu nutricionista.

Pão de cenoura light/diet

1 Comentário // em Receitas //

Untar e polvilhar com farinha de trigo, 2 formas grandes de pão.

Bater no Liquidificador:
– 1 cenoura grande cozida (1 e 1/2 xícara de chá)
– 1 e 1/2 xícaras de chá de água morna (água do cozimento da cenoura)
– 6 ovos (inteiros)
– 9 colheres de sopa de margarina
– 2 e 1/2 xícaras de chá do adoçante Tal e Qual
– 6 tabletes do fermento fresco (90g) ou 3 pacotes de fermento seco (30g) Fleischmann

Tirar do liquidificador e acrescentar aos poucos:
– 6 e 1/2 xícaras de chá de farinha de trigo (não precisa sovar)
Descansar a massa 15 minutos (divididas em 2 formas grandes de pão)
Assar em forno frio 45 minutos (temperatura 250º)

OBS: 3 fatias de pão de cenoura light/diet = 1 fatia de pão de forma comum

Receita retirada do blog da psicóloga Laura Cavalcanti – www.lauracavalcanti.blogspot.com

Video divertido para assistir com seu filhote que não quer comer nada

0 Comentários // em Alimentação da Criança Dicas da Nutricionista Eventos //

O que a mamãe deve saber sobre o início da alimentação do seu bebê

0 Comentários // em Alimentação do Bebê Eventos // 9 de junho de 2011

Algumas dicas para você que é mamãe de primeira viagem e está na transição da amamentação exclusiva para o início da alimentação do seu bebê:

  • A alimentação deve ser oferecida sem rigidez de horários, respeitando-se sempre a vontade da criança.
  • O bebê deve receber alimentos quando demonstrar fome. Horários rígidos para a oferta de alimentos prejudicam a capacidade da criança de distinguir a sensação de fome e saciedade. É necessário que a criança desenvolva seu próprio controle sobre a seleção dos alimentos e a ingestão.
  • Ressalta-se ainda que a criança que inicia a alimentação está aprendendo a testar novos sabores e texturas de alimentos e que sua capacidade gástrica é pequena.
  • A relutância em consumir novos alimentos é uma resposta normal. A aprendizagem é um fator importante na aceitação de novos alimentos, e está cientificamente provado que existe relação direta entre a freqüência das exposições e a preferência pelo alimento. Muitos dos alimentos que a criança rejeita inicialmente terminam sendo aceitos se ela tiver ampla oportunidade de prová-los. No entanto, é necessário paciência, pois muitas vezes o processo é lento, podendo ser necessárias de 8 a 10 exposições para se conseguir aceitação definitiva.
  • São desaconselháveis práticas nocivas de gratificação (prêmios) ou coercitivas (castigos) para conseguir que a criança coma.
  • Algumas crianças precisam ser estimuladas a comer, nunca forçadas.

Atendimento

0 Comentários // em Serviços // 8 de junho de 2011

1

Atendimento personalizado em nutrição, que propõe alternativas mais saudáveis através de alimentos naturais, preventivos e auxiliares nos vários desequilíbrios que podem comprometer a saúde e a boa-forma.

  • Apoio nutricional à gestação normal e de risco;
  • Recuperação pós-parto e nutrição na lactação;
  • Introdução e evolução alimentar na dieta de bebês;
  • Nutrição em situações de risco infantil: sobrepeso, obesidade, baixo peso, dislipidemias, diabetes, intolerâncias e alergias alimentares, entre outros.
  • Educação alimentar na infância, adolescência e da família;
  • Apoio à família da criança seletiva;
  • Desenvolvimento da competência e autonomia alimentares da criança;
  • Nutrição clínica, estética e reeducação alimentar de adultos.

Clínica de Atendimento Materno Infantil – Centro Profissional Barra Shopping

Av. das Américas, 4790, sala 630 – Barra da Tijuca – Rio de Janeiro
Tel.: (21) 98345-0277
 
 

Cursos

0 Comentários // em Serviços // 7 de junho de 2011

cursos

Workshop ‘Comendo certo para crescer saudável’

Coordenado pela nutricionista Naila Gama Soares (CRN 10100749) e pela pediatra Ana Heloísa M. da Gama (CRM 52 36305-4).

 

Depois de passar um período recebendo o que há de melhor em alimentação – o leite materno – o bebê começará a receber outros alimentos e, então, será muito importante manter o padrão de excelência.

O que meu bebê deve comer? Qual quantidade devo oferecer para que ele não sinta fome? Como iniciar essa alimentação? O que é verdade e o que é mito?


Encontros dinâmicos com vivências divertidas, material didático, sugestões de cardápios e receitas saudáveis próprias para bebês.

Para maiores informações, entre em contato.


Compartilhe